sábado, 11 de dezembro de 2010

Mais de mim

Houve um tempo em que dei pra beber sozinho.

Nas noites de festa, ficava em casa, bebendo uísque com gelo e remoendo a minha solidão.

Ouvia músicas que me deixavam mais triste. A mesma música uma e duas e várias vezes, sem parar, enquanto lamentava minha falta de sorte com as mulheres, minha falta de sorte com o trabalho, minha incapacidade de simplesmente ter um rumo na vida.

Como veio, passou. E hoje não sei se foi por força minha ou se somente fui levado pela mão por um destino que já me arrastava pelos cantos há muito tempo.

Tendo a crer que fui salvo pelo amor. Mais um amor irrealizado como todos os outros, mas um amor que me tirou de um poço de autopiedade e me mostrou que os caminhos existem para serem trilhados. Mesmo quando vão dar em lugar nenhum.

Nenhum comentário: